You Chose... Poorly - Como escolher um curso de inglês perfeito

Como escolher um curso de inglês? As 10 perguntas essenciais para não errar na escolha.

Verônica Moreno 16/08/2018  Categoria: Aprender inglês, Sem categoria

Escolher um curso de inglês é uma das tarefas mais árduas para os estudantes brasileiros interessados em aprender o idioma mais influente do mundo. A escola é boa? Os professores são qualificados? Vou ficar fluente?

Para ajudar nessa árdua e importante missão, preparamos um vídeo com os 3 elementos principais que devem ser levados em conta durante a escolha de um curso de inglês. Clique aqui para assistir o vídeo. Tem algumas dicas rápidas no Instagram também.

Agora, se você quer ainda mais dicas para não errar na hora de dar um dos passos mais importantes na sua carreira estudantil, se liga nas 10 Perguntas essenciais que você deve fazer durante sua pesquisa de cursos de inglês.

1 – Como é o método de ensino? 

Método é como chave e fechadura: cada aluno encontra um que mais lhe agrade e que lhe seja mais eficiente. Se você é novo no ambiente de inglês, isso não ajuda muito. Considerando as pesquisas mais recentes em neurolinguística do mundo, a maioria dos alunos demonstra maior aprendizado do inglês em métodos onde tenham liberdade para falar, questionar, onde sejam usadas constantemente imagens, cores, e sons, e onde o estudante aprenda a aplicar o conhecimento de forma prática no dia-a-dia do aluno.

Por isso, é melhor escolher um curso de inglês com bastante material visual, com livro colorido e cheio de fotos, com recursos de vídeo e áudio, e cujas aulas sejam ministradas em inglês. Porém, os alunos, pelo menos nos níveis iniciantes, devem ter a liberdade de perguntar em português.

2 – Quantas aulas são ofertadas por semana?

A maior parte dos cursos de inglês disponibiliza duas a três aulas por semana. Alguns ofertam em dias alternados – terça e quinta, ou segunda e quarta, por exemplo – e outros cursos ofertam duas aulas em um único dia – como nos sábados. Fatores como deslocamento, cansaço e dedicação devem ser considerados nessa escolha. Se for estudar em dias alternados, certifique-se que o deslocamento duas vezes por semana não lhe deixe exausto antes da aula (que é o caso de algumas pessoas em SP).

Em ambos os casos, mantenha contato com o idioma em diversas ocasiões durante a semana. Isso mantém o aprendizado ativo e o cérebro em constante aplicação do conteúdo.

3 – Qual a duração de cada aula?

Não aceite aulas que durem mais de uma hora e 15 minutos. Pouquíssimas pessoas conseguem manter a concentração após esse período. O fato é que, a partir dos 50 minutos de aula, a curva de interesse e foco caem vertiginosamente. Ou seja, depois de uma hora, você provavelmente estará só de corpo presente, e o seu cérebro vai estar, há muito, em stand-by.

4 – Qual a carga horária anual do curso?

Quanto maior a carga horária anual do curso, melhor. Significa que você terá mais tempo com os professores e colegas para aprender e colocar o aprendizado em prática. Só fica de olho, pois muitas escolas incluem na carga horária eventos não obrigatórios, como festas e confraternizações. A não ser que nas festas seja proibido falar português, em geral, elas não devem ser consideradas parte da carga horária. Eu sempre indico escolher um curso de inglês com carga horária entre 75 e 90 horas, no mínimo.

5 – Qual a duração média do curso?

Um curso de inglês deveria durar cerca de dois anos e meio a três anos de curso, com 80h/ano. Ao fim desse período, embora não proficiente, o aluno já dominará o idioma de forma independe e será capaz de usar, satisfatoriamente, o idioma em seu dia a dia. É claro, se você quiser se tornar expert no inglês, vai levar uns 5 anos, condicionado ao seu esforço. Quando maior o esforço e a dedicação em casa, menos tempo será necessário permanecer no curso. Agora, se uma escola te oferece um curso 12 ou 18 meses, ou 8 anos pra atingir esses mesmos objetivos: é uma cilada, Bino!

6 – O contrato é semestral, anual ou bianual?

Parece bobo, mas a questão contratual é extremamente importante para se entender a índole da escola/franquia, e de como eles tratam os seus alunos. O normal é que o contrato seja anual, sendo que, quanto menor o período de contrato, melhor para o aluno. Em caso de insatisfação, ele estará livre para rescindir o quanto antes e ir em busca de uma nova prestadora de serviço.

Algumas escolas tentam “segurar o aluno” através de multas exorbitantes no contrato.

Mas fique tranquilo, a multa se restringe ao pagamento de 10% do valor restante do contrato. Por isso, faça de tudo para não assinar do contrato bianual quando escolher um curso de inglês.

7 – Quanto custa?

O preço médio de um curso de inglês hoje, no Brasil, varia muito dependendo do método e da modalidade. Os cursos online custam em média R$80-R$150/mensais. Cursos presenciais mais reconhecidos podem ir de R$250-R$390/mensais, dependendo da carga horária.

Faça uma pesquisa na sua região e descarte as escolas que oferecem cursos a preços muito baixos ou exorbitantes.  Escolas muito baratas tendem a não cumprir com o que prometem, por falta de recursos. Fuja das excessivamente caras, pois, ainda que tenham boa estrutura e bons professores, em geral, é só extorsão mesmo.

8 – Posso assistir uma aula experimental?

Teste as aulas dos professores, quantas forem necessárias até você se sentir seguro ao escolher um curso de inglês. Em geral as escolas oferecem uma ou duas, o que é suficiente. Não vá lá pedindo um mês de aula grátis, né, kirido? Agora, se a escola se recusar a te deixar assistir uma aula antes de assinar o contrato, pula fora AGORA! Estão escondendo falta de qualidade. É uma viagem longa e que demanda investimento, nada mais justo que um teste drive.

9 – Tem atividades extra-classe e aulas de conversação?

Aulas boas, bons professores e bons materiais didáticos não são mais que a obrigação de qualquer curso de inglês que se preze. Agora, se a escola oferece aulas extras, monitorias e plantões tira-dúvidas, aulas de prática de conversação, aí, essa escola merece mais que palmas, merece o Tocantins inteiro. Festas, aulas culinárias, jogos, viagens são alguns dos exemplos de atividades extras que vão fazer do seu curso inesquecível e ainda mais eficaz.

10 – Tem algum recurso online ou formas de praticar fora de sala?

O mundo hoje está conectado de diversas formas. Além do velho dever de casa, que é superimportante, é interessante que o curso tenha uma plataforma online ou aplicativo. Assim você pode praticar o conteúdo em qualquer hora ou lugar. Se o curso tiver, verifique com os alunos reais, durante a aula experimental, como funciona e às vezes, SE funciona. É comum os cursos oferecem vários recursos, mas não colocarem em prática.

 

Curtiu as dicas? Agora é só fazer suas pesquisas e escolher um curso de inglês que mais te atende. Boa sorte e bora começar esse ano com o pé direito!

Fontes:

https://www.teachingenglish.org.uk/article/neuro-linguistic-programming-elt

https://www.linguisticsociety.org/resource/neurolinguistics

 

  Comentários: None

Nickel – Palavra do dia

Verônica Moreno 16/08/2018  Categoria: Palavra do dia - A whole new word!

Nickel /nikuhl/

subs. nickel. 1) apelido da moeda de 5 centavos de dólar americano ou canadense. 2) metal níquel, cujo símbolo químico é Ni, sólido em temperadura ambiente e usado em ligas metálicas. A liga metálica composta por 25% de níquel e 75% de cobre é a matéria prima para a confecção de moedas … Leia Mais

  Comentários: None

O verdadeiro país do futebol: conheça tudo sobre a Premier League

Redator 16/08/2018  Categoria: Aprender inglês

Não é segredo para ninguém que o futebol moderno foi inventado na Inglaterra. Apesar de evidências de esportes similares terem sido praticados na civilização Asteca, no Antigo Egito, na Grécia, em Roma, Japão e China Imperiais, foram os britânicos que se deram ao trabalho de reunir as regras modernas e disseminar o esporte pelo mundo. Ao observarmos as jogadas perfeitas, as melhores estratégias e os talentos individuais dos times de elite da Premier League, uma das maiores e melhores ligas de futebol do mundo, percebemos que a terra da rainha é que é o verdadeiro país do football.

Quem é apaixonado por futebol e quer acompanhar um dos mais importantes eventos de futebol do mundo deve entender melhor como funciona a dinâmica deste espetáculo. Separamos algumas informações importantes sobre o campeonato e dicas para que você possa interagir melhor com os torcedores da liga. Aproveite!

… Leia Mais

  Comentários: None